14 novembro 2006

96,8kg

OI MENINAS!
Me pesei...
Ui Ui
Lembra que eu escrevi no post anterior que estava com medo de me pesar, de ter voltado pra casa dos 100? Poisé, me pesei e confesso que imaginei que o ponteiro tivesse subido mais. É que eu tenho plena consciência das travessuras que cometi e realmente pensei que estivesse voltado a casa dos 100. Graças a DEUS estava errada. Estou com 96,8. Não vou ficar feliz com isso não, prometo a vocês que até o final deste mês eu saio da casa dos 90kg. Chega de ficar um tempão nesta casa, cansei.
Deu pra notar que estou mais aninadinha né?
Não desisti da cirurgia ainda, confesso a vocês. Inclusive vou hoje ao cirurgião pra ele vê qual é a melhor cirurgia para o meu corpo. Mais como eu sei da batalha que vou enfrentar com meu plano de saúde, não vou ficar aqui engordando não, quem sabe eu percebo que posso andar com minhas próprias pernas e dou uma banana para esta idéia de cirurgia?!!!
Recebi um texto super bacana da minha amigona MÁ. Espero que vocês gostem e que ao ler a auto-estima de vocês alcancem o ponto máximo!!!
Um beijo com carinho, Lara.




Decida a ser gostosa


Nem quando tinha 10 anos entrei numa calça jeans 38. Nunca me senti feliz sem sutiã ou vestindo um top minúsculo com a pança ao ar livre. Jamais deixei de ter pânico praiano no final da primavera. Mas, depois de muita terapia e chuchu refogado, decidi: sou muito mais gostosa do que essas esqueléticas posando de cabide maquiado em capa de revista de moda.
Porque, na verdade, gostosura não é ter 1,77m e 50kg nem 300ml de silicone, lipoescultura ou botox até na pupila. Ser gostosa é decisão. Decida que seus culotes, apesar de não serem a coisa mais linda do mundo, são facilmente extermináveis. Faça um tratamento estético e acabe com eles.

Decida dar um tapa na cabeça do seu namorado sempre que ele te chamar de gordinha", "fofinha" ou qualquer coisa terminada em "inha" que cause ódio: você é a única pessoa que pode xingar a si mesma, é bom que fique claro.

Decida reclamar menos do seu corpo e aproveitar mais todas as sensações que ele pode te proporcionar se você parar de se torturar com cada estria que se instalar na sua bunda. Burrice é dar valor exagerado ao que é, na essência, detalhe. Tragédia é a fome na África, o assassinato dos bebês-foca, e não a falta de elastina no seu glúteo direito!
Decida chutar pra estratosfera padrões de beleza: os peitos da Gisele Bündchen são dela, não seus. A barriga sarada da dançarina de axé é dela, não sua. E, na real, se ser padrão fosse tão bacana, essa mulherada não viveria neurótica, com bulimia, anorexia, disfunção renal, cerebral, hemorroidal... No fim, todas nós sofremos de prisão de ventre.

Decida que "osso largo", "retenção de líquido" e "gases" não são desculpa para não ter a cintura da Jennifer Lopez - você tem outra estrutura, simples assim. Não dá para ser leoa com pelagem de jaguatirica. Mas dá para ser uma leoa deslumbrante.

Decida que você, e o que existe de melhor em você, não se resume naqueles 2 ou 3 ou 10kg de banha que insistem em não sair do seu quadril. Quem acha o contrário deve ser posto de quarentena na sua vida. E se for você uma das que pensa assim? De duas, uma: Freud ou Jung. Não, três: pode ser Lacan, também.

Se você decidir que quer mais é ter a barriga sarada, a bunda dura, o peito empinado e a coxa marmórea, vá em frente. Malhe. Feche a boca. Gaste com cirurgias, mas não se engane pensando que depois disso sua felicidade será plena, porque alegria e auto-estima não vêm de brinde com a lipoaspiração.


Lembre-se de que o embrulho do presente acaba indo pro lixo. Então, para facilitar minha existência, decidi que sou gostosa. Compro roupas que valorizam o que tenho de bom (peitões, no caso) e não tento me vestir como um catálogo da Dior: o máximo que conseguiria seria parecer um espantalho fashion louco. Não me abalo mais com comentários testosteronentos e babões. Diante de corpos fenomenais: não dediquei a minha vida a ter um daqueles, por isso não posso querer ter um daqueles (simples, não?). Aprendi que o prazer que um jantar com vinho e risoto de pêra com gorgonzola me proporciona é infinitamente maior do que poder rebolar ferozmente abuzanfa no show da Tati Quebra-Barraco.

Hoje, sou gostosa pacas. Mas continuo odiando qualquer mulher que fica linda de morrer num biquíni. Eu decidi ser gostosa, mas não virei a Irmã Dulce. Ainda bem: decidi também que ser boazinha não combina comigo.

Editora de "Quem" e colunista de "Criativa", Ailin Aleixo, fala sobre a neurose de quase todas as mulheres: parecer um cabide.

3 comentários:

Fran disse...

nossa...ameii o texto..
ótimo.."
mais mesmo assim não me tira certa idéia da cabeça """emagrecer""""
heheh

beijos"

Lizanilda disse...

Amiguinha! quanto tempo, nunca mais tinha falado com tu, Espero que realmente você perceba que consegue caminhar com suas propias pernas pois eu continuo não sendo a favor dessa cirugia mas tudo bem eu so quero o melhor para você!
Bjins te adoro!

Anônimo disse...

ola meu nome é camila e eu tenho 17 anos eu tb tenho esse problema de peso mas graças a Deus eu tenho força pra lutar e chegar no meu objetivo eu naum pretendo ser uma top model mas eu quero me sentir bem e isso q importa.eu adorei o seu blog e te achei uma pessoa incrivel eu adoraria conversar com vc.Meu msn é camilamedeiros1990@hotmail.com.Ah eu moro em Brasilia sua cidade natal neh?
bjos e fique com Deus